quinta-feira, 21 de maio de 2009

Relevo da Angola



O relevo que predomina em Angola é o planalto, com uma altitude média superior a 1000m.
Extensa meseta que ocupa quase todo o interior, desce mais ou menos bruscamente sobre a costa Atlântica e muito suave sobre as fronteiras oriental, norte e sul; pode-se considerar dividido em três zonas distintas:





  • Zona litoral : estreita de terras baixas, com uma largura máxima de 200 Km (Vale do Cuansa) e mínima de 15 a 20 Km (S. de Benguela), voltando a alargar para a S. e atingindo, na foz do Cunene, a largura de 100 Km. Estende-se desde a costa até à costa dos 400m.


  • Zona sub-planaltica: apresenta-se movimentada cortada de ravinas e vales, excepto na região do Congo que, embora continue acidentada, é consideravelmente diminuída a sua aspersa montanhosa. Esta zona de altitudes compreendidas entre os 400 e os 1000 m, e estende-se N a S, adjacente à primeira; a faixa, de largura variável vai desde os 300 Km (paralelo de Malange) até aos 200 Km (região de Nguza) tornando a alargar junto de Cunene (150 Km).


  • Zona planaltica: A maior parte do território do país está compreendida nesta zona, que consideraremos ainda dividida em dois planaltos: primeiro planalto com cotas entre 100 e 1500 m (a maior extensão); segundo planalto, com altitudes superiores a 1500m (grande parte do planalto do Bié, que se estende para SO até á região do Lubango. Este planalto cai quase sempre abruptamente para Oeste; na região de Huila o declive acentua-se ainda mais, constituindo as ásperas vertentes da serra de Chela.


Para Este o planalto esbate-se suavemente.


O núcleo central da região planaltica (Bié) constitui um dos maiores centros de dispersão de águas do continente Africano, e ai se encontra o acidente de maior altitude do país, o Morro do Moço com 2620 m de altitude. Merece também destaque o maciço do alto do Zambeze a Leste, com uma altitude máxima de 1428m.


O enclave de Cabinda é quase plano com cotas inferiores a 1000m.

3 comentários: